FONTES DE POLUIÇÃO DO AR

A poluição do ar é provocada por uma mistura de substâncias químicas, emitidas na atmosfera ou resultantes de reações químicas, que alteram a sua composição natural. Nem todas as substâncias presentes no ar são consideradas poluentes. Na verdade, entende-se como poluente atmosférico apenas uma substância presente no ar ambiente que possa ter efeitos nocivos na saúde humana ou no ambiente na sua globalidade3.

As concentrações dos poluentes no ar ambiente dependem essencialmente de dois fatores: quantidades emitidas e condições meteorológicas que condicionam a sua dispersão e as suas reações físico-químicas3.

As fontes emissoras dos poluentes atmosféricos são numerosas e variáveis, podendo ser naturais ou antropogénicas (atividade humana).

NATURAIS

Para além da atividade humana, alguns fenómenos naturais (erupções vulcânicas, incêndios florestais, tempestades de areia) libertam poluentes para a atmosfera, os quais são, por vezes, transportados a longas distâncias, dependendo das condições de dispersão atmosférica.

A «poeira africana» proveniente do deserto do Saara é uma das fontes naturais de partículas na atmosfera. As condições extremamente secas e quentes no Saara geram turbulência, o que pode impulsionar a poeira até uma altura de 4-5 km, mantendo-se no ar durante semanas ou meses.

A água do mar vaporizada (essencialmente sal projetado no ar por ventos fortes) é também uma fonte de partículas, podendo contribuir com até 80% para os níveis de partículas presentes na atmosfera em determinadas zonas costeiras.

As erupções vulcânicas, por exemplo, na Islândia ou no Mediterrâneo, também podem produzir picos temporários de partículas na atmosfera até longas distâncias.

Os incêndios nas florestas e prados em toda a Europa destroem, em média, cerca de 600 000 hectares (cerca de 2,5 vezes a área do Luxemburgo) por ano e são também uma importante fonte de poluição atmosférica.

Embora as fontes naturais contribuam substancialmente para a poluição do ar, a contribuição das atividades humanas excede em muito as fontes naturais.

ANTROPOGÉNICAS

As principais fontes de poluição externa incluem energia residencial para cozinhar e aquecer, transportes, geração de energia elétrica, agricultura, incineração de resíduos e indústria. Os setores da indústria, dos transportes, da agricultura e o residencial e comercial foram identificados como os que mais necessitam de atuação em termos de redução de emissões de poluentes atmosféricos3.

As fontes antropogénicas mais poluentes resultam maioritariamente dos padrões de mobilidade baseados no veículo privado e da atividade industrial. Destacam-se o tráfego rodoviário, especialmente em áreas urbanas, como fonte de óxidos de azoto (NOx), monóxido de carbono (CO), partículas em suspensão (PM), benzeno (C6H6) e outros compostos orgânicos voláteis (COV); e as fontes industriais, no que respeita às emissões de dióxido de enxofre (SO2), NOx e PM3.

Fonte: Adaptada de Agência Portuguesa do Ambiente, 2019

Fonte: Adaptada de Agência Portuguesa do Ambiente, 2019


3 – Estratégia Nacional para o Ar 2020 – Relatório Síntese