MONITORIZAÇÃO DA QUALIDADE DO AR

É importante que os países e as cidades criem e mantenham em funcionamento sistemas de monitorização da qualidade do ar, o que pode também promover a atenuação da poluição5.

A qualidade do ar pode ser avaliada através da monitorização contínua com recurso a estações ou de campanhas pontuais efetuadas com estações móveis.

As campanhas pontuais destinam-se tipicamente a objetivos cujo limite temporal é curto, (p. ex. caracterização das emissões de uma obra), são flexíveis permitindo adaptar-se a diferentes objetivos. Podem utilizar-se amostradores não automáticos (tubos de difusão) ou estações móveis.

A monitorização em contínuo serve objetivos a médio/longo prazo (p. ex. permite avaliar as tendências das concentrações ao longo do tempo) e permite acompanhamento em “tempo real” (alertas!).

A rede nacional de monitorização da qualidade do ar é composta por 68 estações, instaladas em diferentes tipos de zonas – rurais, suburbanas e urbanas – e apresentam tipologias distintas, dependentes das emissões dominantes nas zonas onde se encontram instaladas. São assim classificadas como estações de tráfego, industriais e de fundo, representando diferentes tipos de exposição da população à poluição atmosférica. As estações de tráfego situam-se na proximidade de vias de tráfego intenso e permitem avaliar a exposição da população às emissões do tráfego automóvel. As industriais encontram-se situadas na proximidade de zonas com indústrias poluentes. As estações de fundo situam-se em locais que não são afetados diretamente por vias de tráfego ou por qualquer fonte de poluição próxima. Pode existir também a combinação de ambas as classes, por exemplo, rural de fundo, urbana de tráfego e suburbana industrial3,6.

Em Portugal a qualidade do ar é conhecida, principalmente, a partir dos dados recolhidos nas diversas estações de monitorização localizadas, predominantemente, nas grandes áreas urbanas (áreas de influência de tráfego) ou nas áreas industriais mais relevantes.

As medições da qualidade do ar são normalmente relatadas em termos de concentrações médias (μg) diárias ou anuais por metro cúbico de volume de ar (m3). 

O Índice de Qualidade do Ar (IQAr) é uma ferramenta que permite efetuar uma classificação simples e compreensível do estado da qualidade do ar. Este índice integra informação relativa a vários poluentes atmosféricos, que é agregada e à qual se atribui uma de cinco classes, variando entre “Muito bom” e “Mau”. A classe final do IQAr, por estação ou zona, corresponde ao poluente cuja concentração se traduz num nível de poluição mais gravoso. As classes do IQAr são atribuídas com base nos valores das concentrações de cada poluente e de acordo com os limiares estabelecidos pela legislação nacional7. O IQAr é calculado diariamente, para cada estação da rede de monitorização da qualidade do ar, sendo posteriormente agregado por zona, de acordo com as regras definidas a nível nacional (QualAr). De acordo com os resultados é possível orientar o cidadão de forma a adequar comportamentos e ações no sentido da proteção da saúde humana, especialmente dos grupos mais sensíveis da população, através da elaboração de planos de melhoria com medidas para reverter a situação.


3 – Estratégia Nacional para o Ar 2020 – Relatório Síntese

5 – Eliminar a poluição atmosférica é prioritário para as cidades europeias

6 – Qualar – Informação sobre Qualidade do Ar

7 – PrevQualar – Previsão da Qualidade do Ar